Destaques

Espetáculo “O Bagulho É Louco” entra em cartaz no Espaço Cultural Opereta

TEATRO

Montagem da Cia. de Teatro Atores InSanos que conta com a direção de Walmir Pinto poderá ser conferida nesta sexta-feira e sábado (dias 16 e 17 de setembro) às 20 horas

o-bagulho-e-louco-60

Depois de uma temporada de sucesso em Suzano, o espetáculo “O Bagulho É Louco”, da Cia. de Teatro Atores InSanos com a direção de Walmir Pinto estará em cartaz nesta sexta-feira e sábado (dias 16 e 17 de setembro) no Espaço Cultural Opereta (Rua Dr. Emilio Ribas, 168, Vila Sopreter, em Poá). A montagem será encenada às 20 horas e os ingressos poderão ser adquiridos ao valor promocional de R$ 10. Outras informações com Raquel Pereira, produtora do espetáculo, pelo número 97194-7774.

A peça traz no elenco Drico Oliveira, Rômulo Cabrera e Carla Shinabe. O texto e a música são de Zé de Riba, a iluminação de Elizandra Deep e produção de Bruno César. O diretor do espetáculo, Walmir Pinto, conta que o texto “O Bagulho é Louco” foi escrito há 20 anos e continua atual:

“Ao fazer a leitura com o grupo, a identificação foi geral. O texto deu ânimo aos jovens atores da Cia. Insanos e não tivemos dúvidas em usa-lo para nosso estreia. Tive o privilégio de estudar teatro com o Zé em São Paulo, onde pudemos aprender muito com nossos mestres Wolney de Assis e Berta Zemel”, destaca.

 

O ESPETÁCULO

A violência dos grandes centros urbanos, sobretudo nas periferias, acabam isolando o homem, tornando-o apático e solitário. Um homem diante de uma crise existencial agravado pelo fim de seu relacionamento e por dificuldades financeiras, atormentado pela situação vivida no dia a dia e isolado em um bar da periferia (comércio em que tira seu sustento) tem como companhia a sua tevê com seus programas de violência. Absorvido pela dramaticidade e tragédias mostradas a todo momento na tevê somado à mediocridade em que se encontra,  aos poucos vai perdendo o encanto pela vida, tornando-se duro e amargo.

 

DIREÇÃO

Formado em Artes Cênicas e Gestão Cultural, Walmir Pinto é ator, diretor e professor de teatro. Atuou e dirigiu diversos espetáculos, além de fazer participações em TV e no cinema. Criou a Cia. Cinco de Teatro e Cia. Atores InSanos.

No teatro, estrelou nas peças “O Coração Verde dos Pássaros”, de Manuel de Barros; “Electra”, de Sófocles; “Igual Contra Igual”, de Fernando Pessoa; “Abre as Asas Sobre Nós”, de Sérgio Roveri. Dirigiu os espetáculos “Tempo de Saudade”, da obra de Manuel Bandeira, “Tempo de Horror”, da obra de Bertold Brecht; “Quem Casa Quer Casa”, de Martins Pena; “Olhos, Espelhos e Luz”, de Pe. Antonio Vieira; e “O Encontro”, de Arthur Azevedo e Machado de Assis.

Na tevê, participou das novelas “Seus Olhos”, “Os Ricos também Choram”, “Cristal”, “Maria Esperança”, “Minha Vida de Novela”, “Amigas e Rivais”, “Carrossel”, “Chiquititas”, no SBT, e “Essas Mulheres”, na Record. Também atuou nas minisséries “Contos de Edgard”, da Fox, e “O Caçador”, da Globo, e da websérie “Família Pinheiro”, do Bradesco Saúde.

No cinema, atuou em “A Revolta do Videotaipe”, dirigido por Rogério Moura; “Amor de Mula”, com direção de Caio Veckio; “O Invasor” longa-metragem de Beto Brant.

 

O AUTOR

José Ribamar de Araújo, nasceu em 1960 em Dom Pedro no Maranhão. Estudou teatro com o ator e diretor Wolney de Assis de quem foi parceiro musical, dentre as quais tributo a Marc Chagall lançado em São Paulo, França e Amsterdã. Em 1988, participou do espetáculo infantil “As viagens da pontuação”. Em 1998, a convite da USP, apresentou com Heraldo Guiaro o musical “Mané Gostoso e Severino Bactéria”. Em 2000 participou com o ator Wolney de Assis do projeto multimídia “I Juca Pirama”, que percorreu diversas cidades do interior do País. Produziu o CD “I Juca Pirama”, com a obra do poeta romântico Gonçalves Dias. Teve a embolada “www.sem”, parceria com Romildo Soares e o xote “Fuga nº 1″ gravadas por Simone no disco “Seda pura”. Apresentou shows no Maksound Plaza Hotel e no Teatro Ruth Escobar. Em 2001, após 20 anos de carreira lançou seu primeiro CD,”Pancada seca”, com destaque para “Antropofágico”, parceria com Romildo Soares, “Parada geral”, “Qorpo Santo” e “Você não é Tão Feia Assim”, as três de sua autoria. Em 2002 estreou o espetáculo “Pancada Seca” no Sesc Pompéia. Lançou ainda seu segundo disco, “Cara Dum Cara do Outro”, com destaque para “Brazil Estamental (Oito Pilha! Hum Real)”, parceria com Carlos Silva, “www.sem”, com Romildo Soares e “Fuga” e “Frei Caneca”, de sua autoria. É autor de peças teatrais, “Ornelindo do Amor Divino” e “O Bagulho é Louco e o Processo é Lento” entre outras. Atualmente viaja com o Show ”Zé Dois.”

 

INSANOS 

Formada em 2014 com jovens atores profissionais oriundos de diversos grupos e diversas formações, a Companhia Atores InSanos tem como objetivo a formação, pesquisa e criação visando á promoção do desenvolvimento cultural por meio das artes cênicas e outras linguagens, contribuindo para as manifestações do livre pensamento e da valorização artístico cultural do indivíduo dentro da sociedade.

Visa ainda proporcionar novos caminhos de criação das artes cênicas, sobretudo no Alto Tietê, Zona Leste, bem como o Estado de São Paulo.

Para além das apresentações é imprescindível para o grupo que os artistas sejam conscientes de seu papel na sociedade enquanto pensadores capazes de dialogar por meio da criação artística, com as diversas questões individuais e coletivas vivenciadas pelo homem atualmente. A Cia. Atores Insanos tem sede na Faculdade Piaget, Campus Suzano, onde desenvolve seu trabalho de pesquisa, ensaios e apresentações. O objetivo do grupo é montar espetáculos com olhar pedagógico para estudantes do ensino médio e universitários. Textos de Machado de Assis, Arthur Azevedo, Martins Pena, Fernando Pessoa, estão dentro do repertório do grupo, além de diversos outros autores nacionais e internacionais.  O grupo também encenará espetáculos experimentais e autorais.

 

Ficha Técnica

Espetáculo: O Bagulho é Louco

Autor: Zé de Riba

Direção: Walmir Pinto

Elenco: Drico de Oliveira, Carla Shinabe e Rômulo Cabrera.

Produção: Atores Insanos

Figurino: Atores Insanos

Cenário: Walmir Pinto

Iluminação: Walmir Pinto

Trilha Sonora: Zé de Riba

Músicas: “Reprocesso”, de Zé de Riba e Romildo Soares; “Desempregado”, de Zé de Riba e Lupi Albano, “Roupas Suas”, de Zé de Riba

Operador de Luz e Som: Elizandra Deep

Projeto Gráfico – Rômulo Cabrera

Apoio Cultural: Faculdade Piaget e Apecc

Patrocínio: Remax, British Academy, Ateliê de Imagens, Boteco Helena, Água Doce Cachaçaria e Centauros Contabilidade

 

 

 

Os comentários estão fechados.

Copyright 2012 .: Walmir Cultura :. | Todos os direitos reservados